8 de mar de 2010

VIDA NA ROÇA


Vida na roça

José Amauri Clemente


Manhãs belas tardes lindas

Mesmo em cabana de palha

Quando na roça trabalha

Mesmo nas indas e vindas


Pássaros cantam e atraem

As manhãs de sol ou chuvas

Lá nas estradas e curvas

Onde as cachoeiras caem


Lavoura plantada perto

O trabalho às vezes rende

Quando se colhe se vende

O lucro nem sempre é certo


O inverno quando vem

Anima a matutada

Seja muito ou quase nada

Não desanima ninguém


Festa é pouca e quando tem

Reúne a população

Seja natal ou São João

Sempre aparece alguém


Quando um não tem outro ajuda

E assim caminham juntos

Seja quais forem os assuntos

A situação não muda


Em festa de casamento

É diferente da cidade

Ali tem felicidade

Por que se tem sentimento


Filho se tem aos punhados

Sem se fazer pré-natal

Morre sempre alguns de mal

Mas muitos são resgatados


É assim vida na roça

Tem trabalho e brincadeira

Nos domingo tem a feira

E o forró na palhoça


Televisão, quem tem ela?

Nem todo mundo lá tem

Mas de longe sempre vem

Gente pra ver a novela

Tenho lá felicidade

Mesmo no sítio distante

E esta vida elegante

Não troco pela cidade.


Apertos todos sofremos

Mesmo que tenha dinheiro

Antes ou por derradeiro

Uma esperança teremos

Rico ou pobre sonharemos

Isto é o que nós queremos.

AUTOR: JOSÉ AMAURI CLEMENTE

JUNHO 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário