16 de dez de 2010

A QUEM PERTENCE O BOLO?

José Amauri Clemente
Todos os direitos reservados.

Muito se investiga a respeito da veracidade de Jesus, a ciência embora aceite que o carpinteiro realmente existiu, questiona e descarta seus milagres.

Além da Bíblia, considerada pelos cristãos como livro sagrado, escritos antigos encontrados pelos arqueólogos confirmam que Jesus foi condenado a pena de morte pelos romanos em uma sexta feira, e que seu julgamento foi o mais rápido e injusto da história.

Embora não haja relatos sobre a data do nascimento de Jesus, sabe-se que ele nasceu em Belém, pequena vila da região da Judéia.

A religião cristã aceita isso como verdade, e ainda acrescenta que Jesus ressuscitou dentre os mortos três dias depois de sua crucifixão e teria subido ao céu ocultando-se dos discípulos entre as nuvens do céu. Fato esse que embora a ciência não aprove, os cristãos propagam a mais de dois mil anos.

É fato que a ciência aceita apenas o que é comprovado mediante experiências repetidas e com os mesmos resultados, é fato comprovado que nenhum ser humano existente na terra arrastou tantos adeptos e transformou vidas como Jesus.

O natal está chegando, estamos a poucos dias do aniversario do homem que mudou a história e a transformou em dois períodos, antes e depois de Cristo. Nota-se porem que os parabéns não são cantados para o aniversariante. Papai Noel e seus duendes roubaram a cena e são aplaudidos ao redor do mundo. O sangue do Verdadeiro Filho de Deus tem sido substituído pelo vermelhão da roupa do bom velhinho, em lugar da coroa de espinhos mostra-se um gorro com bordas brancas, a salvação que deveria ser trazida aos corações é trocada por um presentes escondidos em um par de meias.

Nada contra a tradição, mas por que dar tanta ênfase a uma tradição se nem a ciência nem os adeptos de Papai Noel comprovaram sua existência? Não está na hora de mudarmos a direção dos aplausos e deixar que o própria aniversariante corte o bolo?

Pense nisso.

15 de dez de 2010

NATAL


Autor: José Amauri Clemente
Todos os direitos reservados


O Natal que a globo mostra
Ao texto não é fiel
Um festival de duendes
Moças e papai Noel
Está longe da verdade
O que se ver na cidade
Está bem longe do céu

Nada contra o bom velhinho
Nem as árvores enfeitadas
Nem as compras em promoção
Nem as homenagens dadas
Não sou contra os bons festejos
Nem contra as musicas cantadas

Penso que toda imprensa
Deveria divulgar
Que natal é o nascimento
De quem veio nos salvar
Deixou tudo lá no céu
Para vir nos resgatar

O astro papai Noel
Roubou a cena de Jesus
Com cabelo e barba branca
Tomou para si a luz
Oferecendo presentes
Esquecendo-se cruz

O duende na história
Está dando uma de artista
Não sei nem a sua origem
Mais aos poucos ele conquista
Estão chegando de primeira
Pra tornar em bagaceira
Uma festa tão bonita

Que bom se todos soubessem
O sentido do natal
Abrissem seu coração
Pra se libertar do mal
Jesus então entraria
Ali morada faria
Transformando o mundo mal.