14 de jan de 2011

SE EU PUDESSE DIZIA...

Se eu pudesse dizia que o governo
Só enxerga o pobre pra votar
Ou então quando é para lhe ajudar
Quando manda um favor ele fazer
Ninguém tem a coragem de escrever
Se falar vai dormir numa prisão
Seu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Se eu pudesse dizia que o sistema
Mata o pobre de fome e acha graça
Canta quando ver eles na desgraça
É difícil ver isso e esquecer
Tem o pobre vontade de morrer
Por não ter líder que lhe der a mão
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Se eu pudesse dizia que a Lei
Só existe pra muitos no papel
Pois o pobre sofre amargura e fel
Nessa vida só vive a padecer
Morre o pobre para o rico crescer
Nem enterram nem dão satisfação
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Se eu pudesse escrevia mil palavras
Mas é pouco o dizer para o que sinto
Afinal não é este o meu recinto
Só passei por aqui pra desfazer
Não é minha vontade nem querer
Apoiar indivíduo que é ladrão
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Seu pudesse dizia que Brasília
Tem um monte de rato e gabiru
Pra dinheiro é pior que urubu
Pega tudo e levam pra esconder
Ganham tudo sem nada merecer
Me desculpem o grande palavrão
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Seu pudesse dizia na internet
Que esse bando de lá fazem piada
Quando ver nossa casa derrubada
Pela força que vem pra desfazer
Poderiam até pagar pra ver
O pobre em seus pés lambendo o chão
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Se eu pudesse dizia que nenhum
Dos votados na ultima eleição
Mereciam estar onde eles estão
Pois ainda não vi nenhum fazer
Vi apenas cada um prometer
Mas não deram se quer satisfação
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Se eu pudesse diria a um por um
Bem na frente daqueles condenados
Fosse ele governo ou deputado
Nem que fosse na hora de morrer
Quando for para ele se eleger
Vá pedir no inferno voto ao cão
Se eu pudesse dizia o que eles são
Mas estou proibido de dizer

Autor: José Amauri Clemente
Todos os direitos reservados

Nenhum comentário:

Postar um comentário