10 de jan de 2011

OLÁ !


Sou réu, fui preso, julgado e condenado, mas ninguém conseguiu até hoje me manter atrás das grades. Estou nas ruas, nas esquinas, nas favelas, nos palácios, motéis e hotéis, entro sempre sorrateiramente, posso estar em vários lugares ao mesmo tempo e sem ser notado. Ao ser apresentado, prometo-lhes sensações alucinantes, força descomunal, prometo levá-los a outros mundos. Não sou garoto propaganda de nenhuma marca famosa, mas todos que me vêem e se aventuram fazer prova de mim se apaixonam no primeiro contato. Estou entre casais apaixonados e fui muitas vezes companheiro de cama com eles, gosto de orgias, entro em qualquer lugar com pessoas de qualquer sexo. Vou pra cama com qualquer um, não importa a cor, raça ou religião. Atendo a todos, tanto entro em igrejas, quanto em cassinos, basta ser convidado.
Tenho alguns passatempos que pra mim são deliciosos: Iludir, mentir, matar, assustar e frustrar. Mesmo sabendo disso basta alguns contatos, e muitos preferem deixar famílias, lares e até matar seus pais para ficarem comigo. Eu sou mesmo cruel, adoro dizer isso! Nunca escondi meu carater.
Não gosto de ninguém, não tenho sentimentos, uma vez caíndo em meus braços, dificilmente escaparão, nunca sem seqüelas.
Sou descendente de branco, não sou racista, mas adoro destruir, tenho listas incontáveis de mulheres lindas que preferiram a mim antes da família, mães que venderam filhos para poder ter contato comigo, jovens, crianças, adolescentes que morreram me beijando, homens que trocaram palácios e o conforto do lar para dormir comigo nos lençóis imundos dos guetos.
Sou querido pelas pessoas depressivas, perseguidas, desempregadas, loucas, lúcidas, e famosas.
Só tem uma maneira de evitar ser destruído por mim: O primeiro contato.
Caso tenha algum interesse em me conhecer pessoalmente, estou a sua disposição.
Eu sou o Crack.

AUTOR: JOSÉ AMAURI CLEMENTE
Todos os direitos reservados

2 comentários: