20 de ago de 2010

POLÍTICOS NO PAIS DAS MARAVILHAS

Autor: José Amauri Clemente

Todos os direitos reservados

Quem já não ouviu falar do conto infantil Alice no país das maravilhas? Pois é, a fábula que há anos encanta crianças e adultos tornar-se realidade aqui no Brasil.

Estamos em ano eleitoral, e como sabemos, todos os candidatos são “bons”, “trabalhadores”, “honestos”, “hospitaleiros” e etc...etc... etc... Claro! Afinal de contas eles precisam de votos, muitos votos.

Como consegui-los? Promessas é uma fábrica de fazer votos, mas prometer o que? Afinal de contas o governo atual diz que no Brasil não falta trabalho. Esquece que o povo brasileiro não quer trabalho, quer emprego. E como dar trabalho conseguir emprego! Sabe-se que o verdadeiro político procura a necessidade do eleitor para assim poder ajudá-lo.

A natureza resolveu dar uma mãozinha e enviou para alguns estados do Nordeste uma chuva descomunal que acabou arrastando casas, terrenos, pontos comerciais e sonhos de muitos nordestinos. Se for verdade que São Pedro é o responsável pela chuva, acho que ele tornou-se cabo eleitoral de algum candidato, afinal de contas se os eleitores perderam tudo (embora nada tivessem a não ser a dignidade) esta é a oportunidade que os “lobos” esperavam para prometer casas, terrenos, empréstimos, sonhos e dignidade.

A catástrofe ocorrida no Nordeste tornou-se um prato cheio para os mal intencionados. Uma coisa é certa: Eles não vão mais oferecer trabalho, pois isso o nordestino já tem de sobra. Trabalho para arrastar a lama, trabalho para juntar os moveis, trabalho para enterrar as vitimas, trabalho para fazer Boletins de Ocorrência, trabalho para conseguir empréstimos em bancos, trabalho para receber cestas básicas e etc... etc... etc....

Como diz o titulo, o Brasil tornou-se mesmo o país das maravilhas, agora eles podem trabalhar toda campanha fazendo promessas.

Uma coisa eles precisam lembrar: O povo brasileiro não está mais vivendo de promessas. Aliás, nem São Pedro está acreditando em promessas de políticos, tanto é que há alguns anos trabalhava para os candidatos de Santa Catarina, depois de passar pelo Nordeste está fechando contrato com os políticos da China. O problema é que lá o sistema é diferente. Será que vai dar certo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário