3 de mai de 2010

A VÍRGULA QUE VALEU BILHÕES.

Autor: José Amauri Clemente

Um multimilionário antes de morrer deixou dois testamentos com seu irmão, incumbindo-lhe de avaliar o único herdeiro durante dois anos antes de entregar-lhe uma das cartas. Deveria o futuro milionário cumprir alguns requisitos para poder ser dono dos bilhões que o pai havia construído com esforço. Apenas uma das cartas poderia ser entregue, a outra deveria ser destruída imediatamente após a escolha. Isso deveria ocorrer quando o filho completasse maior idade. Os documentos eram diferentes apenas por uma vírgula, mas fazia toda diferença.

Eis os testamentos:

1

Tenho como único herdeiro o filho que tanto amo. Ensinei-lhe tudo que pude para que ele pudesse manter de pé o patrimônio que construí com sacrifícios durante toda a minha vida.
Sei que ele ainda é jovem e que aprontou muitas coisas ruins durante sua juventude. Agora já está crescido, tornou-se adulto, está lutando pra mudar suas atitudes. É verdade que não tem experiências para administrar a empresa, por isso não, pode ser herdeiro de todos os meus bens.

2

Tenho como único herdeiro o filho que tanto amo. Ensinei-lhe tudo que pude para que ele pudesse manter de pé o patrimônio que construí com sacrifícios durante toda a minha vida.
Sei que ele ainda é jovem e que aprontou muitas coisas ruins durante sua juventude. Agora já está crescido, tornou-se adulto, está lutando pra mudar suas atitudes. É verdade que não tem experiências para administrar a empresa, por isso não pode ser herdeiro de todos os meus bens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário