19 de nov de 2014

ROSA MARIA




Mulher bela como a lua
Quando do nascente vem
Que beleza igual a tua
Na natureza não tem
Meu sonho, sonho de sempre
Era poder te abraçar
Mas por ter pouco dinheiro
A filha do fazendeiro
Eu nunca pude beijar

Que poderia um vaqueiro
Empregado, capataz
Homem pobre sem dinheiro
Só com sonhos e nada mais
Que sonhava em ter nos braços
Pra esquecer seus fracassos
E viver com alegria
Olhando o corpo perfeito
Com as curvas sem defeito
Corpo de Rosa Maria

Corpo este que jamais
Eu vou poder abraçar
Por ser um pobre rapaz
Apenas posso sonhar
Com a mulher que amei
Com paciência esperei
Tão perto de mim estava
E ao mesmo tempo distante
Pois não quis ser confiante
Nos sonhos que eu sonhava

Em meus sonhos foste minha
Na saudade muito mais
Nos sonhos teu corpo eu tinha
Mas de verdade jamais
Nas histórias que eu criava
Que só para mim contava
Eu era o príncipe encantado
Tinha você de verdade
Longe da realidade
De um pobre apaixonado

Outro por que tem dinheiro
Teu corpo vai abraçar
Não sei se esse fazendeiro
Vai pra sempre te amar
Mesmo pobre como eu
Meu olhar não esqueceu
Teu corpo tomando banho
Teu dinheiro e minha saudade
Juntos não chegam a metade
De um amor de tal tamanho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário