6 de mai de 2014

DOUTOR E O MATUTO



TEM GENTE QUE É “ORGUIOSO”
E PENSA QUE SABE TUDO
PENSA ATÉ QUE NUNCA MORRE
SÓ POR TER MUITOS “ESTUDO”
E “MERMO” EU SENDO MATUTO
ACHO ISSO UM ABSURDO

VOU CONTAR UM “CAUSO SÉRIO
QUE COMIGO ACONTECEU
NAS “BANDA” DO SÃO FRANCISCO
NA ÉPOCA QUE ELE ENCHEU
UM HOME MUITO “ORGUISO”
QUIRIA HUMILHAR EU

FOI NO TEMPO DE ENCHENTE
QUANDO AS ÁGUA TUDO INVADE
EU IA COM MEU BARQUINHO
EM DIREÇÃO A CIDADE
PASSAVA COM RIO CHEIO
COM MUITA FACILIDADE

AFINÁ DISSO EU VIVIA
COM MINHA BARCA GANHAVA
CARREGANDO SEMPRE O POVO
QUE PRA “VISITÁ” CHEGAVA
QUANDO O RIO ATRAVESSAVA
UNS “TROCADO” ELES ME DAVA

EU TRANSPORTAVA “MUIÉ”
GENTE FROXO E CABRA MACHO
TANTO LEVAVA PRA CIMA
COMO LEVAVA PRA BAIXO
AS VEZES O BARCO IA CHEIO
QUE SÓ BANANA DO CACHO

NUM DIA DE TERÇA-FEIRA
QUE O MOVIMENTO FOI RUIM
POR QUE O RIO TAVA CHEIO
COBRIA TODO CAPIM
COM A CORRENTEZA FORTE
MAS “TRABAEI” MERMO ASSIM

ERA QUASE MEIO DIA
NÃO PEGUEI UM PASSAGEIRO
ATÉ QUE VEIO O SINHÔ
DE TERNO ANDANDO LIGEIRO
DISSE: EU QUERO ATRAVESSAR
QUANTO TU COBRA EM DINHEIRO

EU “DIXE” É TRINTA MIRREIS
ELE ENTÃO SE ASSUSTÔ
DIXE: TÁ CARO DEMAIS!
PAROU, “OIÓ” E “SUNTÔ”
MAS COMO ESTAVA COM PRESSA
DIXE: MERMO ASSIM EU VÔ

TAVA VESTIDO NUM TERNO
TINHA UMA MALA NA MÃO
PARECIA MUITO RICO
NÃO SEI SUA PROFISSÃO
SEI QUE MUITO “ORGUIO” TINHA
DENTO DO SEU CORAÇÃO

COMEÇOU A “PREGUNTAR”:
QUAL É SEU NOME RAPAZ?
EU “DIXE”: É JOÃO FRANCISCO
DE SOBRENOME TOMAZ
ELE “DIXE”: MISERICÓRDIA
O TEU NOME É “FEI” DEMAIS

SABE LER MEU COMPANHEIRO?
EU “DIXE”: SEI NÃO “SINHOR”
ELE “DIXE”: VEJAM SÓ
JÁ PERDEU TODO VALOR
VIVE NESSA DURA LIDA
POR NÃO TER UM PROFESSOR

EU SOU FORMADO EM DIREITO
TENHO QUATRO FACULDADE
SEI CONTAR, LER E SOMAR
E APRENDI DE VERDADE
FALAR CATORZE IDIOMA
SEJA EM FOR A CIDADE

SEI PILOTAR AVIÃO
DIRIGIR CARRO TAMBÉM
ESTOU TIRANDO A CARTEIRA
PRA MAQUINISTA DE TREM
E AQUI PERDENDO TEMPO
COM UM TAL DE “ZÉ NINGUEM”

VIM A ESTE FIM DE MUNDO
MAS FOI ESSA A DESPEDIDA
RESOLVER CASO DAS TERRAS
PELO SEM TERRA INVADIDA
UM BANDO DE PREGUIÇOSOS
QUE NÃO TEM NADA NA VIDA

E EU CALADO FICAVA
SÓ OUVINDO ELE FALAR
“HOME” RUDE, CARA FEIA
SÓ SABIA “RECRAMAR”
SÓ ELE ERA QUEM FALAVA
EU SÓ FAZIA “ESCUTÁ”.
VOCÊ SABE DIRIGIR?
EU DISSE: SÓ MEU BARQUINHO
ELE DIXE: É POR ISSO
QUE CONTINUA SOZINHO
MORANDO NO FIM DE MUNDO
SEM TER POR PERTO UM VIZINHO

DIXE: EU TENHO MUITOS CARRO
E MUITAS CONTAS NO BANCO
TENHOS DOIS FILHOS QUE ESTUDAM
TÔ DIZENDO PRA SER FRANCO
ALEM DE BONITOS SÃO
ALTOS, ELEGANTE E BRANCO

NAQUELE MOMENTO EU TAVA
COM RAIVA E ENVERGONHADO
NUNCA VI ALGUEM TÃO CHATO
E METIDO A ARROCHADO
DIXE VÔ APRONTAR UMA
COM ESSE CABRA SAFADO

FOI NUMA CURVA DO RIO
QUE RESOLVI APRONTAR
FIZ UMA MANOBRA RÁPIDA
COM INTENÇÃO DE DERRUBAR
O “DOTÔ” DENTRO DO RIO
PRA VER NO QUE IA DAR

“OIE” PRA ELE E FALEI
MERMO SEM QUERER “OIÁ”:
O SINHÔ SABE TUDO ISSO
MAS TAMBEM SABE “NADÁ”?
POIS EU ACHO QUE AGORA
O “SINHÔ VAI “PRICISÁ”

FINGI DESVIAR DE UM TRONCO
QUE VINHA NA DIREÇÃO
ME AGARREI NO VOLANTE
SEGUREI COM AS DUAS MÃO
FIZ A CURVA EM MAIS DE CEM
FOI TRISTE A SITUAÇÃO

VI O CABRA “VEI” GRITAR
QUANDO MEU BARCO RONCOU
QUANDO FIZ UMA MANOBRA
DO TRONCO SE DESVIOU
ELE DISSE ENTÃO: VALEI-ME!
E NA ÁGUA SE LASCOU

COMEÇOU A DEBATER
GRITANDO POR TODO SANTO
COM OS “ZOIO” ARREGALADO
GEMENDO E FAZENDO PRANTO
EU GRITEI: EU NÃO SABIA
QUE O “SINHÔ” SABIA TANTO

COMO TUDO O “SINHÔ” SABE
NEM PRECISA EU AJUDAR
POIS TENHO TODA CERTEZA
QUE O “SINHÔ” SABE NADAR
NADE CONTRA A CORRENTEZA
QUE PRA PODER ESCAPAR

MAS ELE SENDO ARRASTADO
PELA CORRENTEZA FORTE
GRITOU VALEI MEU SANTO!
POIS VEJO DE PERTO A MORTE
E SE EU ESCAPAR DESTA HOJE
SEI QUE TIVE MUITA SORTE

EU DEMOREI UM POUQUINHO
PARA UM CASTIGO LHE DAR
DEPOIS VIREI O BARQUINHO
VOLTEI PRA VIR LHE BUSCAR
E “DIXE”: POIS EU PENSEI
QUE TU SABIA NADAR

O “DOTÔ” TODO MOIADO
PERDEU A POSE QUE TINHA
PERDEU PASTA E DOCUMENTO
MOLHOU A ROUPA TODINHA
DISSE QUASE ME LASCAVA
ARRUINEI A VIDA MINHA

EU “DIXE” ISSO É UM EXEMPLO
QUE É PARA O SENHOR VER
QUE TODO MUNDO NA VIDA
TEM SEMPRE O QUE APRENDER
DESSE CASO ACONTECIDO
NUNCA MAIS VAI SE ESQUECER

MEIA HORA DE VIAGE
DEPOIS DO ACONTECIDO
CHEGUEMO A NOSSO DISTINO
ELE TRISTE E ENCOIDO
QUASE MORRENDO DE FRIO
NAQUELE MUNDÃO PERDIDO

DESCEU DO BARCO E PAGOU
COM O DINHEIRO MOIADO
DISSE: SE NÃO FOSSE TU
EU TAVA MESMO LASCADO
AMANHÃ POR ESSAS HORAS
EU IA SER ENTERRADO
EU “DIXE” TALVEZ NEM FOSSE
SE ENGANA MEU AMADO
TALVES NUNCA MAIS NA VIDA
O SENHOR FOSSE ENTERRADO
POIS QUEM CAI NA CORRENTEZA
NUNCA MAIS É ENCONTRADO

ELE AFIRMOU: É VERDADE
POR ISSO EU VOU LHE FALAR
POR SIMPLES QUE SEJA ALGUEM
SEMPRE TEM O QUE ENSINAR
TOME AQUI MAIS CEM CRUZEIRO
POR MINHA VIDA SALVAR

VIROU AS COSTA E SAIU
DEPOIS DE DÁ-ME UM ABRAÇO
DISSE HOJE EU RECONHEÇO
QUE TENHO SIDO UM FRACASSO
O QUE FIZ COM VOCÊ HOJE
NUNCA MAIS NA VIDA EU FAÇO

SAI SORRINDO E CONTENTE
ELE MOLHADO FICOU
TRISTE DE CABEÇA BAIXA
NEM SE QUER PRA MIM “OIOU”
NUNCA MAIS VI ESTE HOMEM
NEM SEI ONDE SE SOCOU

José Amauri Clemente
Maio 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário