3 de mar de 2010

NÃO QUREMOS SER ASSIM

HINO NACIONAL QUE NÃO QUEREMOS.

Eu vi lá no Ipiranga as jovens flácidas

E um povo herói nas mãos do traficante,

E só sem liberdade às mãos dos rígidos,

Manchou nosso passado nesse instante.

E o meu senhor nessa “igualdade”

Conseguiu me dominar com braços fortes,

Eu não creio, nessa “verdade”,

Denunciam nossos feitos a própria sorte!


A parte dada,

Pra negrada,

É farra é farra!


Brasil, meu sonho intenso, foi dividido

Sem amor e com ganância o rico cresce,

Sem teu famoso céu risonho e límpido,

As margens e sem dinheiro a terra desce

Diante da miséria pra nobreza,

És “belo” mesmo tendo pele e osso


E em teu futuro espera essa “grandeza”

Terra explorada

Entre os teus mil

És tu Brasil a mais roubada


Teus lideres nesse solo é mais que vil,

Pátria nada Brasil.


Mostrado em nossa frente em grande escândalo

Em tom mostrado à “luz” em todo o mundo

Figuras do Brasil em toda America

Só o mostram como pobre vagabundo


És das terras, a mais sofrida

Outros sonhos foram em meio a tantas dores

E nos toques, dessa lida

Nossa lutas chegam a causar pavores


A parte dada

Pra negrada

É farra é farra


Brasil, és corrompido pelas tramas

O lado que está certo é sempre errado,

Esconde-se a verdade pelas granas

Mas o futuro ainda é esperado


Mas antes de levar-te própria morte

Verão que não desistimos da luta

Nem teme quem te adora a própria morte


Terra adorada

Entre outras mil,

És tu, Brasil,

Pátria amada


Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!




Nenhum comentário:

Postar um comentário